PLACAS OSB

Placas OSB

Placas OSB

Placas OSB

A maioria dos construtores têm optado por usar as placas OSB para revestir e reforçar a estrutura. Estas placas estruturais são compostas por lâminas de madeira orientadas. Daí o nome: OSB - Oriented Strand Board, ou seja, Placas de Partículas Orientadas. É portanto um aglomerado de partículas de madeiras longas e orientadas, com características similares aos dos chamados sistemas estruturais em madeira lamelada colada.

Matéria prima

A madeira usada na produção de OSB incluem espécies tais como o choupo, o abeto e o pinheiro. Segundo Pontífice de Sousa (1990), as espécies mais usadas no fabrico de estruturas lameladas-coladas na Europa, são o espruce (Picea abies), o abeto (Abies alba), a casquinha (Pinus sylvestris) e a pseudotsuga (Pseudotsuga menziessi). O mesmo autor refere também que, nos Estados Unidos da América, as espécies mais utilizadas são a pseudotsuga e o pitespaine, que abrange um conjunto de espécies designadas naquele país por “Southern Pine” (Pinus palustris, Pinus elliottii, Pinus echinata e Pinus taeda). O OSB utilizado, é produzido maioritariamente de madeira de pinheiro. A adequação do pinho bravo para o fabrico de estruturas lameladas-coladas é reconhecida na norma EN 386 (2001). O OSB não será normalmente atacado por insectos da madeira, comuns em climas temperados. As placas produzidas a partir de madeira de pinheiro possuem mais resistência a estes agentes biológicos.

Processo de fabrico

As excelentes características do OSB resultam directamente da especificidade do seu processo de fabrico. Após o abate das árvores, os troncos sem ramos e folhas, são transportados e descascados. A casca será usada como combustível na própria fábrica. Seguidamente, os troncos são submetidos à acção de diversas lâminas que arrancam pequenas lamelas até cerca de 10 cm de comprimento. Estas partículas são então secas e misturadas com resinas e cera. As placas adquirem assim uma excelente resistência à humidade graças a uma colagem efectuada com as mais modernas resinas de síntese. As lamelas de madeira são dispostas em camadas e cada camada é orientada de forma diferente, de modo a maximizar a resistência e a estabilidade do painel. Este colchão é submetido a condições de pressão e temperatura muito elevadas. A triagem das lamelas com vista à eliminação das mais finas, a prensagem e a “cozedura” progressiva do painel numa prensa em contínuo conferem às placas qualidades mecânicas notáveis. Ao sair da prensa, as placas de grandes dimensões são então cortadas nas medidas standard, obtendo-se um painel estruturalmente denso, muito resistente, dimensionalmente estável e muito durável. Finalmente, após o correcto acondicionamento, as paletes estão prontas para o transporte.

Durabilidade

Os construtores que utilizam o AÇO em todo o mundo recorrem usualmente às placas OSB para revestimento estrutural do esqueleto metálico dos edifícios. Assim, estas placas não são meramente decorativas, possuindo funções estruturais passíveis de cálculo de engenharia. A Futureng recorre aos Eurocódigos para calcular o tipo de placas OSB a aplicar no projecto, nomeadamente a sua classificação e durabilidade, classes de risco e de serviço, espessura, juntas, montagem e fixação aos perfis metálicos.

Aplicação

Tal como referido acima, as placas OSB são amiúde escolhidas para constituir o revestimento estrutural no sistema em AÇO. Ao desempenhar essa função, não servem apenas para revestir a estrutura pelo exterior. Elas realmente contribuem para a resistência estrutural do inteiro edifício e, assim, as suas características são levadas em conta no dimensionamento e cálculo de engenharia. Em obra, as placas OSB mostram ser bastante versáteis sendo fáceis de cortar e de fixar através de parafusos. Além disso, as placas estão preparadas para resistir às intempéries durante o processo de construção. O seu baixo peso torna fácil o seu transporte durante o período de construção. Apesar de ser basicamente um revestimento estrutural, as placas OSB contribuem também para os excelentes níveis de isolamento térmico do edifício. Depois de colocadas, o revestimento serve também de base para a fixação dos materiais de acabamento das fachadas. Visto que este revestimento é considerado parte integrante da estrutura e desempenha funções de grande importância no seu desempenho, as características destas placas, nomeadamente as das mais utilizadas (OSB), estão sujeitas à legislação prevista nos Eurocódigos, tal como acontece com o aço galvanizado.


SE O AÇO É O IDEAL PARA CONSTRUIR OS EDIFÍCIOS MAIS ESPETACULARES DO MUNDO

PORQUE NÃO CONSTRUIR A SUA CASA DA MESMA FORMA?

CONTACTE-NOS

Aviso! Este website utiliza cookies.

Estes são utilizados para melhorar a sua experiência de navegação. Saber mais

Compreendo
Os cookies são pequenos ficheiros de texto armazenados no computador do utilizador aquando da visita a determinados websites. Em alguns casos, são eliminados após essa visita. Noutros são mantidos para visitas posteriores. O uso de cookies no acesso a websites é uma prática usual e os vários navegadores (browsers) permitem que cada utilizador possa recusar a sua utilização, bem como eliminar os que foram já criados.

As páginas de Internet da Espaços com Vida podem usar cookies para melhorar a navegação dos Utilizadores. É assim possível melhorar a utilização e visualização dos websites, tornando-a mais simples e rápida, possibilitando uma experiência de navegação mais interessante e dinâmica.